Crie a diferença, inove!
Faça sua empresa vender mais!

BLOG do Carlos Martins.
Comentários sobre Propaganda e Marketing.



O Marketing perfeito

Certamente algum anúncio já despertou sua atenção.

Se além de lembrar detalhes do anúncio você é capaz de lembrar o nome do anunciante, podemos dizer que o anúncio ficou guardado na sua memória. Pode ser anúncio de uma grande ou pequena empresa. Pode ser um anúncio de jornal, comercial de TV, outdoor, algum evento promocional ou até um simples folheto.

Provavelmente você já cantarolou algum jingle enquanto dirigia seu carro ou andava distraído. Isso é o que podemos chamar de boa publicidade.

Nas minhas lembranças profissionais, a marca Xerox* virou sinônimo de cópia em papel e Brahma* ainda hoje é sinônimo de cerveja. Quem não ouviu falar da "lei de Gerson", que retratou a mania de quem gosta de levar vantagem e ficou conhecida por causa de uma campanha do cigarro Vila Rica*, onde o nosso querido craque de futebol falava para o seu Manoel da padaria: "E aí, seu Manoel, levando vantagem em tudo, heim?"...

Talvez você lembre os anúncios da Brastemp, McDonald’s, Mercedes Benz e outros. Certamente, não foi apenas a propaganda dessas marcas que ficou na sua lembrança. Você também lembra atributos importantes dos produtos e serviços desses anunciantes. Não é à toa que boas empresas costumam produzir boa publicidade.

Faça um teste simples: pegue algum anúncio que sua agência de propaganda criou para sua empresa e leia em voz alta para seus amigos ou para sua família. Se você não sentiu orgulho do seu anúncio, então ele não é um bom anúncio.

Faça este outro teste: pegue o seu anúncio e mude a assinatura dele. Troque a marca de sua empresa pela marca de seu concorrente. Se apesar dessa mudança o anúncio continua funcionando como se tivesse sido feito para o seu concorrente, então não é um bom anúncio. Na verdade ele não pode ser chamado de anúncio da sua empresa, pois também poderia ser um anúncio do seu concorrente.

Outro teste: imagine sua loja com o nome de seu concorrente na fachada. Se a vitrine, a decoração da loja e a arrumação dos produtos continuam funcionando após a mudança do nome da loja, então a loja não é sua. Aos olhos da sua clientela não existe diferença entre sua loja e a loja do concorrente. O dinheiro que você gastou com arquitetos, decoradores, mobília e vitrinistas na montagem da sua loja não faz diferença.

Teste seus vendedores: imagine que eles estão trabalhando para seu concorrente. O que eles dizem aos clientes? O atendimento da concorrência é o mesmo da sua empresa? As mesmas promessas, o mesmo discurso... Então o seu atendimento não é seu. Sabe aquele dinheiro que você gastou com o pessoal de treinamento? Sabe aquele palestreiro que você contratou para falar aos seus funcionários? Foi desperdício de tempo e dinheiro.

Aplique esse mesmo raciocínio para testar o site de sua empresa, as suas embalagens e tudo mais onde você se comunica com os clientes. Se o site da sua empresa parece com o site da concorrência, fique certo que ele faz pouca diferença nas suas vendas e serve para desconstruir a personalidade de sua marca ou empresa.

Ainda tem gente que pensa que basta copiar a concorrência na hora de lançar uma loja, uma empresa ou serviço. Um bom Marketing como um bom anúncio, produto ou serviço, precisa ter uma identidade própria e uma vantagem exclusiva. Isso agrega valor, torna sua marca mais competitiva e mais fácil de ser lembrada. Se você não mostra diferença, pagará mais caro para vencer a concorrência: dependerá de mais propaganda, mais lojas, mais vendedores e sacrifício das suas margens de lucro. Acredite, nenhuma empresa agüenta isso muito tempo. Se você enfrenta problemas de venda, comece pensando nisso.

Fazer algo diferente que ajude a fixar sua marca não é tarefa fácil. É necessário conhecer bem o seu público-alvo, fazer pesquisas e usar a criatividade. Isso depende de tempo e orientação profissional, mas com certeza seu investimento terá retorno.

Crie a diferença, inove! Faça sua empresa vender mais!

Leia outros artigos de Carlos Martins