O que o consumidor espera do futuro?
O que mudou? Aumentou a exigência? Como ele se comporta?

BLOG do Carlos Martins.
Comentários sobre Propaganda e Marketing.



Enfrentando a crise sem choro nem vela (11)

11 - Como chamar a atenção do consumidor? Qual é a importância de manter uma boa vitrine, atraente e sempre renovada?

Nas pesquisas a vitrine e a exposição dos produtos aparece como a principal fonte da maioria que busca informação. A preferência pela vitrine supera em larga escala outros meios como a propaganda, revistas de moda, catálogos, internet etc.

Em algumas lojas situadas em locais com grande tráfego, a vitrine poderia ser comparada a um programa de TV com grande audiência. E como um bom comercial de TV a vitrine precisa ter os mesmos elementos: criatividade, pertinência e ser memorável.

CRIATIVIDADE:
Um bom comercial tem quase sempre uma ideia curiosa, que fisga a atenção do espectador. Uma boa vitrine tem que ser assim. Quem passa precisa ser atraído por algum elemento visual que desperte a atenção. É um espaço cenográfico onde a imaginação não tem limites na hora de fisgar o espectador. Quanto maior a concorrência da vizinhança, mais atraente deve ser a vitrine.

Além de atender as estratégias comerciais, que podem obrigar a alteração da vitrine,  ela deve ser renovada periodicamente. O prazo para renovação da vitrine é ditado pela frequência do público no local. Por exemplo, se a loja está localizada em um shopping onde a maioria costuma frequentar uma vez por semana, a vitrine deverá ser renovada semanalmente. O estático, o meramente informativo não cabe na vitrine. Num mundo em constante transformação a vitrine deve ser o lugar onde quem passa quer ficar.

PERTINÊNCIA:
Como num bom anúncio a criatividade na vitrine não pode ser gratuita, por isso não basta que uma vitrine apenas desperte a atenção. Os produtos que irão para a vitrine são definidos estrategicamente a fim de atender objetivos variados. Por exemplo, lançamentos de novas coleções, datas promocionais, ataque da concorrência etc. Ou seja, a missão da vitrine é vender e não decorar a paisagem.

MEMORÁVEL:
Algumas vitrines, assim como a decoração de algumas lojas, não contribuem com a identidade visual da empresa. Como num bom anúncio, a vitrine precisa lembrar quem é o anunciante. Ou seja, a vitrine deve ter elementos marcantes que ajude a quem passa rapidamente memorizar em qual loja viu aquela vitrine.

Por exemplo, se você entrar numa loja do McDonald’s em São Paulo, Rio de Janeiro ou qualquer outra cidade do mundo você terá certeza que entrou num McDonald’s. Na China você provavelmente não entenderá nada do que está escrito, mas ainda assim você terá certeza de que entrou num McDonald’s.

Leia outros artigos de Carlos Martins