Dicas para criar um bom currículo
O que pode ou não pode colocar no currículo?

BLOG do Carlos Martins.
Comentários sobre Propaganda e Marketing.


Como fazer seu Currículo


Não importa se você está entrando agora no mercado de trabalho ou se tem alguns anos de janela: mais cedo ou mais tarde vai ser preciso fazer (ou refazer) seu currículo.

Um currículo pode ser feito de diversas maneiras e em alguns você precisará preencher formulários eletrônicos em sites na Internet. Mas, para todos os casos há algumas regras básicas que precisam ser seguidas:

O QUE NÃO FAZER:

Não se escreve mais "currículo" ou "currículm vitae" no alto das páginas nem é necessário colocar o título "dados pessoais";

Embora não seja obrigatório assinar nem colocar data no currículo (as datas devem constar no histórico profissional), a assinatura serve como autenticação e a data será útil em caso de revisão;

Não anexe cartas de referência ou nomes de pessoas que podem fornecer informações a seu respeito (a menos que seja pedido). Geralmente isso é solicitado na entrevista. Leve esses dados em folha separada;

Evite abreviaturas no texto do currículo;

Currículo não é contrato. Por isso não é necessário mencionar seu CPF, RG ou carteira profissional, que serão solicitados depois;

Não inclua seu peso, altura, raça ou religião;

Não fale em dinheiro no currículo. Isso é assunto para a entrevista. Não esqueça de pesquisar o salário de sua função no mercado e lembre-se que seu entrevistador certamente tem conhecimento de quanto deve ganhar um profissional naquele cargo. Aguarde que o assunto seja perguntado e veja se a oportunidade permite uma boa negociação para você e para quem está lhe contratando.

Importante: NÃO MINTA! Além de falta de ética, você pode perder sua chance e comprometer novas oportunidades.


O QUE FAZER:

Forma de apresentação:
Tem que despertar a atenção de quem lê. Isso não se faz com truques de inventividade, mas sim com organização e apresentação de bom conteúdo.

Para Currículos impressos:

- Tem que ter uniformidade nos tipos de letras. Para destacar informações use recursos como o negrito e o itálico do seu processador de texto, e evite variar tipos de fonte para não transformar o currículo numa salada tipográfica. Evite tipos de letras rebuscados. Use os tipos Arial, Courier ou Times New Roman;

Tem que ser limpo e bem apresentado. O papel mais indicado é o branco, formato A4. Quem quiser pode usar folhas coloridas em tons pastéis, mas não deve exagerar. Tons mais discretos como o cinza são bem aceitos;

Marque só a margem esquerda, assim você evita os buracos que aparecem no texto justificado (margem esquerda e direita). Se desejar, centralize apenas os subtítulos;

Use espaço 1,5 entre as linhas. Para deixar mais arejado, pule duas linhas entre um item e outro;

Não use fonte em corpo menor que 10 (texto em corpo pequeno é horrível para ler). Vale escrever seu nome e os subtítulos em corpo maior e destacar com negrito;

Use letras MAIÚSCULAS somente para marcar os itens;


Conteúdo do texto:

O currículo tem que ter apenas informações relevantes, e todas as que forem necessárias. Cuidado para não parecer que você está tentando "dourar a pílula". É normal que pessoas em início de carreira tenham pouco para dizer sobre a trajetória profissional, mas não se preocupe. Deixe os detalhes para a entrevista

O texto tem que ser claro, fácil de ler. Para isso é fundamental que seja escrito em português perfeito. Utilize uma linguagem simples com palavras conhecidas. Escreva apenas o que vai interessar a pessoa que vai ler. Evite rodeios ou redundâncias como "Último Cargo: gerente de marketing. Atuação: responsável por projetos na área de Marketing."

As informações devem ser organizadas em blocos para facilitar a leitura. Como estamos numa era onde o trabalho de equipe é valorizado, evite discursos na primeira pessoa do singular como "eu fiz, eu consegui...". Por outro lado, evite falar de você na terceira pessoa como por exemplo "implantou" o projeto de qualidade... "fez" estagio... "implementou" isso ou aquilo. Substitua os adjetivos por substantivos acompanhados, quando possível, de números. Por exemplo: em vez de "Melhor vendedor da equipe em 1998" prefira a forma "Recorde de vendas entre os funcionários em 1998: 3 000 peças no ano." Procure fazer uma boa revisão no seu texto para evitar erros de português.

Como informar cada experiência?

Empresa: Informe o nome da empresa em que trabalhou.

Ano de Entrada: Informe o ano em que entrou na organização.

Ano de Saída: Informe o ano em que saiu da organização. Caso você ainda esteja trabalhando neste local, preencha com a palavra 'Atual'.

Cargo: Informe o cargo real desempenhado na empresa, ainda que este seja diferente daquele escrito em sua Carteira de Trabalho.

Principais atividades desempenhadas no cargo: O preenchimento deste campo é opcional mas pode contar pontos para você perante o recrutador. Utilizando no máximo 3 parágrafos curtos, descreva suas principais tarefas na empresa. Caso seu trabalho tenha obtido algum resultado de destaque ou você tenha participado efetivamente de algum projeto importante, vale a pena citá-lo aqui também.

Obs. Uma lista de referências deve ser colocada à parte, e você deve tê-la à mão para apresentá-la ao entrevistador no momento em que for solicitado a isto.

Se o histórico for muito grande, faça um resumo nas primeiras páginas e depois entre em detalhes nas páginas seguintes. Se a sua relação de empregos é muito grande, selecione apenas os últimos cinco empregos de sua carreira. E mencione no sumário de qualificações que tem mais experiência. Por exemplo: Economista com MBA em marketing e 10 anos de experiência em planejamento de mídia e estudo de mercado.

Obs. Em alguns casos é importante colocar todas as informações, como nos currículos de cientistas ou médicos, para cujos empregadores os artigos publicados são importantes, assim como o detalhamento dos congressos de que o profissional participou. Mas, de maneira geral, essas informações só entediam a quem vai ler o currículo.

Dados pessoais: As informações principais devem ser colocadas no início. Não precisa escrever "dados pessoais". Bastam o nome completo, idade, estado civil e número de filhos. Se tiver dupla cidadania, mencione. Não coloque dados como RG ou CPF - se mais tarde o entrevistador precisar, ele vai solicitar. Não esqueça o endereço completo, telefone e e-mail.

Objetivo: Deixe claro logo no início do Currículo qual o cargo que você está pleiteando ou qual sua área de interesse. Exemplo:

Objetivo: Gerência de RH ou de áreas de marketing.

Ou ainda, colocando uma pequena observação, como abaixo:

Objetivo: Assistente de diretoria de marketing
Embora seja graduada em Publicidade e Propaganda tenho interesse em aperfeiçoar minhas competências na área administrativa e por isso iniciei uma pós-graduação nessa área.

Formação acadêmica: Se você possui curso superior, esqueça os dados sobre ginasial e colegial (isso pode ser apresentado mais tarde). O que é preciso mostrar são os cursos de graduação, pós-graduação ou especialização relevantes. Para quem está entrando no mercado, a formação acadêmica é importante. Caso você ainda esteja cursando a faculdade, coloque também o período (manhã, tarde ou noite).

Como informar cada formação?

Curso: Informe o nível e o curso. Exemplo: Graduado em Administração.

Instituição: Informe o nome da escola / faculdade / universidade responsável pelo curso.

Ano de Conclusão: Se você já concluiu o curso, informe o ano em que formou. Já se o curso está em andamento, informe o ano em que provavelmente vai terminar este curso.

Idiomas: Seja realista. Não diga que é fluente num idioma se não for. Se estiver estudando, informe.

Experiência internacional: Mencione todas as atividades profissionais realizadas no exterior, mas não adianta incluir os países que você percorreu nas últimas férias, ou incluir viagens de "estudo" disfarçadas. O que se deseja é avaliar o grau de "vivência" profissional no exterior.

Carreira: A trajetória profissional deve ser colocada na primeira página. Inicie sempre pela experiência mais recente. Se as empresas por onde você passou não forem conhecidas, como uma Coca Cola, faça um resumo (duas linhas no máximo) do seu perfil - setor onde atua (se souber, inclua faturamento e número de empregados da empresa).

Aperfeiçoamento: Só mencione os cursos que tiverem ligação direta com sua área de atuação.

Datas: Coloque sempre as datas de entrada e saída das empresas. Não precisa colocar data nem assinar o currículo.

Salários: Não coloque, pois dependendo do valor pode se transformar numa barreira. Prefira conversar mais tarde sobre esse assunto.

Fotos: Não inclua sua foto, a não ser que solicitem ou você esteja se candidatando a uma vaga de modelo fotográfico.

Hobbies e outras atividades: Mencionar hobbies, esportes ou outras ocupações humaniza o currículo. Por exemplo, se você faz um trabalho de integração social ligado à comunidade, isto é bem visto. Se for para falar que gosta de cinema, de teatro e jogar tranca, esqueça.

Revisão: Antes de qualquer outro leitor, peça a um amigo mais experiente para ler seu Currículo e alertá-lo para possíveis deslizes.

Currículo sob medida: Você pode ter um Currículo padrão e enviá-lo sempre, ou fazer um Currículo diferenciado, exclusivo para a empresa onde você gostaria de trabalhar. Nesse caso, o Currículo precisa atender às expectativas particulares dessa empresa:

- Faça um check-up da sua carreira. Identifique os pontos fortes e fracos. Descubra qual é seu potencial em relação às necessidades da empresa;

- Faça uma pesquisa sobre a empresa. Procure visitar o site dela, artigos publicados na imprensa sobre a empresa e/ou sobre sua atividade.

- Faça a mesma pesquisa sobre a concorrência dessa empresa;

- Converse com pessoas que trabalham (ou já trabalharam) nessa empresa para conhecer a cultura, os valores e o sistema de trabalho;

- Procure conhecer os objetivos do cargo e das tarefas para as quais você vai se candidatar.


Leia outros artigos de Carlos Martins